Poucos suspiros poéticos mas muita saudade*

5 de December de 2008 às 3:10 pm

Sim, pouca poesia e pouca prosa. Muita coisa acontecendo mas já faz tempo que minha estabilidade foi pro espaço. Tenho chegado em casa sem vontade de escrever.

Sigo a vida em rítmo intenso, em alta velocidade e me questiono se será somente assim que sei viver.

Passei uma semana muito intensa no Brasil, sem tempo livre para quase nada, vendo amigos e família e trabalhando bastante. Cheguei na segunda-feira de manhã do Brasil e já fui direto ao trabalho. Uma semana de trabalho, um fim de semana que queria ter passado em casa mas que acabou sendo com amigos e, no final, foi excelente. Mais uma semana de trabalho, desta vez um pouco fora de foco.

Pronto. Duas semanas e agora estou aqui, em casa, em plena sexta-feira, com a terrível sensação de estar “filando o trabalho” mas com a empolgação de quando estou me preparando para algo que sei que será, uma vez mais, intenso.

Vou mais uma vez para a Alemanha. Sei que o frio está de matar mas meu coração está totalmente aquecido. Vou matar a saudade de minha pequenina. Esta pequenina que conseguiu me transformar num chorão. Logo eu, um dos editores do livro da razão e que nem lembrava o que eram lágrimas.

Agora me sinto incapaz de olhar algumas fotos, e as vezes me derreto com estúpidos comerciais de margarina, papinha e afins. Tento segurar o choro em livros e filmes.

Saudade… essa minha companheira de sempre. Sinto como se sempre estivesse com saudade de algo ou de alguém mas, ao mesmo tempo, sempre com uma certa empolgação pelo agora e pelo que está por vir. Insano, não?

Escrevo agora somente por um chamado de minha prima. Posso dizer que este post é para ela. Não tinha planos, nem idéia do que sairia nas palavras.

Mas, neste momento, penso somente que estou a minutos de pegar o trem para o aeroporto. E aí vem mais uma das jornadas Barcelona-Bad Lauterberg (uma cidade no meio do nada, no pé das montanhas centrais da Alemanha).

Mas eu já criei uma espécie de rotina para estas viagens. São longas. Começa às 14hs quando saio de casa para o aeroporto. Nada de malas, nem check-in. As passagens são mais baratas assim e tudo é mais prático. Vou somente para o fim de semana e não preciso de muito.

Um livro gordo na mão, uma mente fértil de idéias, pensamentos, e estrada. Eis a combinação perfeita para a viagem que hoje termina somente às 22hs quando eu chego numa cidade chamada Goettingen, onde dormirei já que a esta hora não tem mais transporte que me leve a Bad Lauterberg.

Saudade é bicho esquisito. Amor é mais ainda.

——–

* Parafraseando “Suspiros poéticos e saudades“, título do famoso livro considerado a obra inicial do romantismo brasileiro, de Domingos José Gonçalves de Magalhães.

Um Comentário to “Poucos suspiros poéticos mas muita saudade*”

  1. Andreaon 10 Dec 2009 at 5:24 am

    Prefiro pessoas que choram.
    Odeio as que ficam me olhando chorar e ainda arriscam dizer: por que você chora?

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply