Archive for June, 2008

“E a vida, e a vida o que é diga lá, meu irmão”*

27 de June de 2008 às 1:54 am

Não sei se foi Genaro ou Zequinha que me falou isto  mas Meu amigo Alf me disse uma vez que a vida é como o ato de andar. É como equilibrar o ato de cair. É se ajustar como que de forma mágica ao terreno ao colocar o pé que nos move em uma nova posição, irregular e incerta, passando o peso do corpo e ajustando todo nosso centro de massa de forma tal que a gente não caia. Cair este que seria o ato mais natural. O natural seria uma queda e um consequente equilibrio em posição deitada ao solo.

Mas não. Nós caminhamos. Ajustamos como que de forma mágica nosso equilíbrio. Os pés, pernas, quadril e todo o resto do corpo trabalham em conjunto e logramos caminhar, correr.

Assim também é a vida. Nos movemos através do desequilíbrio sempre que estamos dando um novo passo e temos que ajustar nosso centro de massa para que o passo nos leve adiante. Se, por algum motivo, resistimos e movemos os pés sem que o resto do corpo se adapte ao movimento estamos nos arriscando a cair.

Por outro lado, tampouco podemos ficar parados.

———

* “O que é, o que é” – Gonzaguinha

Sorry

22 de June de 2008 às 3:41 am

Sometimes, all we need to do is say how we feel profound and deeply guilty.

And this would be lovely if followed by a simple word: “sorry”.

Johnny e CFP…

21 de June de 2008 às 12:35 pm

Vida tão corrida que nem coloquei que estou dividindo o ap com meu grande amigo Johnny. Pois é, João chegou faz um par de semanas para fazer o doutorado aqui na Espanha e, de quebra, parte de sua pesquisa será comigo lá no meu trabalho. Muito legal.

E como tem sido bom ter alguém em casa para bater papo. Não sei se tem sido tão bom para João porque acaba que não deixo ele dormir em horário normal e ficamos acordados madrugadas a fio. Num destes nossos papos eu comentava de quantas “chamadas de trabalhos” (call for papers) eu recebia e de como seria legal ter isto organizado junto com as oportunidades de post-doc e empregos na área de pesquisa em “high-performance computing”.

Entre conversa e conversa tivemos a idéia de montar um blog com estas informações de tal maneira que publicar seja o mais automático possível.

Criamos então o http://callforpapers.argollo.com com uma pequena infra-estrutura informática onde redireciono meus call for papers para um email e dois programinhas (um em ruby e outro em php) fazem um parser das informações e as publicam.

Assim passamos entre papos e programas umas boas madrugadas aqui em casa. Seja bem vindo João, boa sorte no doutorado e obrigado pela companhia…

Web revolution…

14 de June de 2008 às 8:02 pm

A tal chamada Web 2 segue me impressionando. O vídeo abaixo mostra de forma original um pouco do conceito de Web 2 e para mim o melhor é quando ele deixa claro no final que a gente vai ter que repensar muita coisa como copyright, o conceito de privacidade, …

Tudo ao mesmo tempo agora, neste instante…

13 de June de 2008 às 8:55 pm

Semanas corridas estas últimas duas. E as seguintes prometem seguir o mesmo rítmo.

Quando cheguei aqui e comecei a trabalhar estava decidido a começar, ainda que tarde, a fazer algumas atividades extras que sempre tive vontade. Sem obrigações.

Busquei logo aulas de salsa que foi uma das coisas melhores que eu fiz na Alemanha quando morei por lá. Depois vi a oferta de um curso de “Patrón de Embarcaciones de Recreo” que é o curso preparatório para você tirar o título que te permite navegar com um barco de até 12 metros e até 12 milhas náuticas da costa (uns 20 quilômetros). Decidi entrar neste curso também.

Passei também a ir, de quando em quando, a uma reunião de discussão de doutorado na UAB. Depois, comecei a ajudar um amigo catalão a terminar o trabalho de fim de curso. E, por fim, entrei na aula de bachata e iniciei a terapia.

Minha semana se superlotou. Segundas (algumas) – autônoma, terças – bachata , quartas – salsa, quintas – orientar Carlos, sextas – terapia.

Até ai, tudo ótimo. A vida passa voando e eu me divirto bastante. Acontece que quando chegou junho tudo passou a se complicar à medida que se juntaram outras atividades. Primeiro uma certa pressão no trabalho. Depois tenho que fazer meu imposto de renda aqui e é uma complicação por ser o primeiro, por eu não ser europeu e etc. Depois temos que ensaiar para a festa de fim de curso de salsa e bachata. Vieram as práticas de vela em dois fins de semana seguidos… 10 horas por dia velejando e levando o barco… uma verdadeira maravilha mas me deixou com a sensação que se passaram 3 semanas sem que eu pudesse sentar.

E agora, para complicar, tenho que fazer a papelada da renovação do meu visto. Sem contar toda a papelada e idas no consulado alemão para poder registrar Laura.

Meio mundo de coisas pendentes mas, por outro lado, estou vivendo, aprendendo, ativo, rindo e chorando. Tem tantas coisas para se fazer nesta vida, tanto para se curtir, sentir, viver… que as vezes penso não estou cuidando devidamente de meu recurso mais escasso: o tempo.