Vale a pena refletir…

10 de August de 2007 às 7:24 pm

Estou vivendo na Europa já há 5 anos. Todas as vezes que venho ao Brasil sofro ao sair nas ruas das grandes cidades vendo os meninos de rua, guardadores de carro, crianças limpando pára-brisas. Fico com uma pergunta na cabeça que não quer calar:

Como pode um país tão rico ter gente morrendo de fome?

Foi um amigo espanhol que me perguntou isto quando estava comigo visitando a Bahia. O pior é que nunca consegui responder a esta pergunta sem passar pela vala comum de reclamar do governo.

Eu sou reticente sempre que o negócio é meter o pau no governo e nos políticos porque vejo os políticos como um reflexo da sociedade. Políticos corruptos só sobrevivem em sociedade onde a corrupção é aceitável.

Não suporto esta atitude de “cordeiro” que tem o brasileiro ante a coisas que são completamente fora do normal e inaceitáveis tipo violência, fome e corrupção.

Dêem uma olhada nestes textos. Vale a pena ler e refletir.

“Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim. E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam nosso cão. E não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.”
(Maiakovski)
——–

“Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário
Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável
Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei
Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.” (Bertold Brecht)

———

“Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.
No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei.
No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.
No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar…”
(Martin Niemöller, 1933 – símbolo da resistência aos nazistas)

———–

“Primeiro eles roubaram nos sinais, mas não fui eu a vítima,
Depois incendiaram os ônibus, mas eu não estava neles;
Depois fecharam ruas, onde não moro;
Fecharam então o portão da favela, que não habito;
Em seguida arrastaram até a morte uma criança, que não era meu filho…
(Cláudio Humberto, em 9/2/2007)

3 Comentários to “Vale a pena refletir…”

  1. Marcos Delson Da Silveiraon 10 Oct 2008 at 11:37 pm

    A vida é cada segundo perto do agora. É cada dia que se vai. As guerras fazem parte da vida? Se fazem poucos sabem o que é a vida? Eu prefiro não mais viver.
    Onde vou o vento sopra, as aves gorjeiam, as nuvens se vão para onde o vento toca. Ah vida! Os dias que se passaram vão ao acaso e a vida sempre nos perguntamos sobre seus acasos….viver e ir alá…alá…além das vagas linhas do horizonte

  2. Marcos Delson Da Silveiraon 07 Nov 2008 at 12:13 am

    No sincero sorriso da criança pude observar o valor da vida naquela tarde onde se encontrava sombrio o interior. Olhei nos seus olhos, eu a via ela não; olhei para o mundo escutando os ruidos e pouco sabia que ele também não podia ouvir; falei com ele é pouco observava que ele era mudo; fui com o intuito de segurar suas mãos mais ele não as tinha;naquela cadeira de rodas, o que fazia ele sorrir? Então observei que ele conversava com o proprio interior, por isso sabia todas as respostas. Era sabio, eu um ignorante apegado a este mundo transitorio. A criança era feliz eu infeliz. A criança sorria eu chorava. Ela conversava consigo, e pouco se importava com os preconceitos, enquanto eu mendigava a palavra alheia…observei que a felicidade transcende as barreiras do meu egoismo, a felicidade não é minha e de todos os felizes e infelizes….Para encerrar, Vinicius de Moraes se expressa mais ou menos assim: “Felicidade que não se parte se perde porque não tem como ser feliz sozinho” Parta suas felicidades.

  3. sorenlorensenon 17 Dec 2009 at 5:24 pm

    Como pode um país tão rico ter gente morrendo de fome?
    A resposta não é simples. Eu na verdade não concebo que exista uma pessoa só morrendo de fome no mundo. É uma ideia cruel demais pra mim.
    As vezes a gente cria em cima de situações ou pessoas algumas ideias para justificar o que nao tem justificativa. Por a culpa no governo é uma. Dizer que estão assim porque querem é outra.

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply